Skip to content

SEGUNDO PASSO – fé

O QUE A FÉ É E O QUE A FÉ NÃO É

Hb 11:33,34 “pela fé conquistaram reinos, praticaram a justiça, alcançaram o cumprimento de promessas, fecharam a boca de leões, apagaram o poder do fogo e escaparam do fio da espada; da fraqueza tiraram força, tornaram-se poderosos na batalha e puseram em fuga exércitos estrangeiros.”

Além de ser um dos fundamentos da vida cristã, com certeza a fé é um princípio espiritual dos mais instigados em toda a Bíblia. De Gênesis a Apocalipse ela é descrita e de certa forma exigida por todos aqueles que aspiram qualquer coisa que tenha a ver com o Reino de Deus ou com o próprio Deus.
Está escrito e é relativamente óbvio que sem fé é impossível aproximar-se dele, impossível agradá-lo (Hb 11:6) e impossível receber algo que venha dele. As escrituras também afirmam que sem fé não há justificação, perdão ou salvação…
Mas, “se tiverdes fé”, como diz o Senhor, a coisa começa acontecer! Aliás, muita coisa pode acontecer: a fé que a Bíblia descreve e exemplifica inúmeras vezes libera um poder incomparável e grandioso. Um poder disponível para a vida daqueles que crêem, conforme a atuação da sua poderosa força. (Ef 1:19)
O problema é que, julgando a realidade na vida de muitos cristãos, fica difícil não questionar porque tantos não têm vivido essa prática fundamental. Muitos ainda deixam de desfrutar do universo do poder da fé. As conquistas, as promessas, o livramento; a força que não temos experimentado é de deixar qualquer um frustrado…
E por que alguns “entendem” tão bem o princípio da fé e seguem dia a dia vivenciando o seu poder, sendo que outros patinam nesse princípio sem obter qualquer proveito na sua vida?!!
O QUE A FÉ NÃO É
Temos sempre em mente a definição clássica de fé como a certeza daquilo que esperamos (Hb 11:1). Mas essa certeza definida como fé não existe por si só, nem é centrada em si mesmo. Isso é importante entender porque diferencia fé de um otimismo ou um pensamento positivo. O foco da fé é o Senhor. Como se eu pudesse complementar: fé é a certeza de que Deus trará aquilo que esperamos.
O mundo não entende a fé desse nível, e insiste em confundir fé com esse sentimento otimista ou um pensamento “positivo”. Fé não é pensar que tudo vai dar certo. Esse sentimento ou pensamento não tem potencial para liberar o poder descrito na Bíblia e talvez aí esteja o problema: será que a fé de muitos não passa de um otimismo?
É óbvio que ser otimista é uma boa coisa, e que com certeza o otimista terá mais proveito nessa vida do que o pessimista, mas ainda assim, esse sentimento não pode ser definido como fé, muito menos experimentado como a fé.
A motivação popular “tenha fé que tudo vai dar certo” deveria ser acompanhada de uma explicação: como posso ter fé de que tudo vai dar certo? como assim?
O QUE A FÉ É
Sl 34:5 “Olhai para ele, e sede iluminados; e os vossos rostos jamais serão confundidos”
Entender o que a fé não é pode ser um primeiro passo para acertar, mas também importa buscar uma definição que seja mais que filosófica. Algo que nos ajude a exercer esse dom tão poderoso. Gostaria de acrescentar à definição clássica de fé a seguinte: fé é olhar para Ele.
O foco é Ele. A certeza está nele. A confiança é de que ele fará. A firme convicção está nele.
É ele, e não sou eu que tenho o poder. Muitos acham que a fé é um poder seu, mas a fé é o poder dele. É a atuação dele. É a força que está nele e opera naqueles que crêem. Opera porque olham para ele e são iluminados. Opera porque olham para ele e não para as circunstâncias. Opera porque olham para ele e as dúvidas acabam: não ficam confundidos nem frustrados.
E junto dessa definição uma declaração a respeito de Abraão, o pai da fé, também pode nos ajudar nessa questão da fé:
Hb 11:11 “Pela fé Abraão recebeu poder, porque considerou fiel aquele que lhe havia feito a promessa.”
Abraão decidiu considerar fiel aquele que é fiel, e recebeu o poder que vem com essa verdade. Considerar é decidir depois de refletir, é levar em conta aquilo que importa. Ele considerou que Deus tinha poder para fazer o que estava falando, e a essa atitude Deus chamou de fé.
Acredito que sempre que consideramos Deus aquilo que ele é, estaremos exercendo uma fé bíblica, prática e eficaz.
CONCLUSÃO
Olhamos para ele e consideramos aquilo que ele é. Declaramos aquilo que ele é. Esperamos focados nele. Ele é o foco na prática da fé.
Não importando as circunstâncias, como aprendemos com o exemplo de Abraão, olhamos para ele e consideramos simplesmente a verdade: ele se importa, ele é bom, ele pode, ele quer.

%d blogueiros gostam disto: