Skip to content

Tiago, o Justo

Tiago, o justo

Tiago, o chamado irmão do Senhor, foi o primeiro a quem se confiou o trono episcopal da Igreja de Jerusalém.

 

Tiago é chamado irmão do Senhor por ser filho de Maria (irmã de Maria, mãe de Jesus) e Alfeu. O termo irmão na Bíblia era utilizado a parentes de forma geral e não apenas para irmãos no sentido filhos dos mesmos pais. Ele era, portanto, primo de Jesus, juntamente com seu irmão José. Tiago também era primo de Simeão, segundo bispo de Jerusalém, também primo de Jesus e primo de Judas (autor da espístola de Judas) – este muito provavelmente irmão de sangue de Jesus, pois Eusébio de Cesaréia relata que apenas Judas era irmão do Senhor segundo a carne. No início Tiago resisitu a Jesus, porém tempos depois, assim que ouviu o ensinamento de Cristo, Tiago viveu de acordo com ele.  Ele é o autor da epístola de Tiago nas sagrdas escrituras. Também é relatado na Bíblia, especialmente no início de seu chamado, como o filho de Alfeu, ou como Tiago o menor, por ser mais jovem que o Tiago, filho de Zebedeu, irmão de João. Porém logo no início da Igreja, ele passa a ser conhecido como o irmão do Senhor, assumindo um respeito inquestionável perante toda a comunidade cristã primitiva.

 

Dele se diz que jamais comia gordura ou óleo, mas vivia apenas com pão e água; e foi virgem até o fim de sua vida na terra. Com freqüência, guardava vigília à noite e orava a Deus. Após a Ressurreição, o Senhor apareceu especialmente a ele, como testifica o Apóstolo Paulo (I Coríntios 15: 7). Foi Bispo de Jerusalém por trinta anos e governou com zelo a Igreja de Deus. Participou ativamente do primeiro Concílio da Igreja, em Jerusalém, que tratava da questão da circuncisão e da pregação do evangelho para os pagãos, evento este que teria ocorrido por volta de 50 d.C. Converteu muitos judeus e gregos à Fé Cristã, e até os judeus descrentes se admiravam de sua justiça, referindo-se a ele como “Tiago, o Justo.” Quando Ananias se tornou Sumo Sacerdote, ele e outros anciãos judeus decidiram matar Tiago por ser um pregador de Cristo.

 

Assim relata Eusébio de Cesaréia: “Ao apelar Paulo à César e ser enviado por Festo à cidade de Roma, os judeus, frustrada a esperança que os induziu a conspirar contra ele, voltaram-se contra Tiago, o irmão do Senhor, a quem os apóstolos tinham confiado o trono episcopal de Jerusalém. O que segue é o que ousaram fazer também contra ele. 

 

Trouxeram-no, e diante de todo o povo pediram-lhe que renegasse a fé de Cristo. Mas quando ele, contra a vontade de todos, com voz livre e falando mais abertamente do que esperavam, diante de toda a multidão pôs-se a confessar que nosso Salvador e Senhor Jesus era filho de Deus, já não foram capazes de suportar mais o testemunho deste homem, justamente porque era considerado o mais justo de todos pelo grau de sabedoria e piedade a que havia chegado em sua vida, e mataram-no, aproveitando oportunamente a falta de governo, pois tendo Festo morrido na Judéia neste tempo, a administração do país ficou sem chefe e sem controle.

 

O modo como ocorreu a morte de Tiago, Clemente conta que o lançaram do pináculo do templo e espancaram-no até matá-lo. Mas quem conta com maior exatidão o que a ele se refere é Hegesipo, que pertence à primeira geração sucessora dos apóstolos e que no livro V de suas Memórias diz assim:

 

“Sucessor na direção da Igreja é, junto com os apóstolos, Tiago, o irmão do Senhor. Todos dão-lhe o sobrenome de “Justo”, desde os tempos do Senhor até os nossos, pois eram muitos os que se chamavam Tiago.

 

Mas somente este foi santo desde o ventre de sua mãe. Não bebeu vinho nem bebida fermentada, não comeu carne; sobre sua cabeça não passou tesoura nem navalha e tampouco ungiu-se com azeite nem usou do banho.

 

Somente a ele era permitido entrar no santuário, pois não vestia lã, mas linho. E somente ele penetrava no templo, e ali se encontrava ajoelhado e pedindo perdão por seu povo, tanto que seus joelhos ficaram calejados como os de um camelo, por estar sempre de joelhos adorando a Deus e pedindo perdão para o povo.

 

Por sua eminente retidão era chamado “o Justo” e “Oblías”, que em grego quer dizer proteção do povo e justiça, como declaram os profetas acer­ca dele.

 

Assim pois, alguns das sete seitas que há no povo e que eu descrevi anteriormente (nas Memórias) tentavam informar-se com ele quem era porta de Jesus, e ele respondia que este era o Salvador.

 

Alguns creram que Jesus era o Cristo. Mas as seitas mencionadas anteriormente não creram nem na ressurreição nem em que venha a dar a cada um segundo suas obras. Mas os que creram, creram por Tiago.

 

Sendo pois, muitos os que creram, inclusive entre as autoridades, os judeus, escribas e fariseus se alvoroçaram dizendo: todo o povo corre perigo ao esperar o Cristo em Jesus. Reuniram-se pois ante Tiago e disseram: Nós te pedimos: retém ao povo, que está em erro a respeito de Jesus, como se ele fosse o Cristo. Pedimo-te que convenças a respeito de Jesus todos os que vierem para o dia da Páscoa, porque a ti todos obedecem. Efetivamente, nós e todo o povo damos testemunho de ti, de que és justo e não te deixas levar pelas pessoas.

 

Tu pois, convence a toda a multidão para que não se engane a respeito do Cristo. Todo o povo e nós mesmos te obedecemos. Ergue-te pois sobre o pináculo do templo para que do alto sejas visível e todo o povo ouça tuas palavras, pois por causa da Páscoa reúnem-se todas as tribos, inclusive com os gentios.

 

E assim os mencionados escribas e fariseus puseram Tiago em pé sobre o pináculo do templo e disseram-lhe aos gritos: “Oh tu, o justo!, a quem todos devemos obedecer, posto que o povo anda extraviado atrás de Jesus o crucificado, diga-nos quem é a porta de Jesus.”

 

E ele respondeu com grande voz: “Por que me perguntam sobre o Filho do homem? Ele também está sentado no céu à direita do grande poder e há de vir sobre as nuvens do céu”

 

E sendo muitos os que se convenceram completamente e ante o testemunho de Tiago, irromperam em louvores dizendo: “Hosana ao filho de Davi!”. Então os mesmos escribas e fariseus novamente disseram uns aos outros: “Fizemos mal em proporcionar tal testemunho a Jesus, mas subamos e lancemo-lo para baixo, para que tenham medo e não creiam nele.”

 

E puseram-se a gritar dizendo: “Oh! Oh! Também o Justo extraviou-se!” E assim cumpriram a Escritura que se encontra em Isaías: Tiremos de nosso meio o justo, que nos é incômodo. Então comerão o fruto de suas obras.

 

Subiram pois e lançaram abaixo o Justo. E diziam uns aos outros: “Apedrejemos a Tiago o Justo!” E começaram a apedrejá-lo, porque ao cair não chegou a morrer. Mas ele, virando-se, ajoelhou-se e disse: “Eu te peço Senhor, Deus Pai: Perdoa-os, porque não sabem o que fazem.

 

E quando estavam assim apedrejando-o, um sacerdote, um dos filhos de Recab, filho dos Recabim, dos quais o profeta Jeremias havia dado testemunho, gritava dizendo:

 

Parai, que estais fazendo? O Justo roga por vós!

 

E um deles, tecelão, agarrou o bastão com que batia os panos e deu com este na cabeça do Justo, e assim foi que sofreu o martírio. Enterra­ram-no naquele lugar, junto ao templo, e ainda se conserva sua coluna naquele lugar ao lado do templo. Tiago era já um testemunho veraz para judeus e para gregos de que Jesus é o Cristo. E em seguida Vespasiano os sitiou.”

 

Isto é o que Hegesipo relata minuciosamente, concordando ao menos com Clemente. Tiago era um homem tão admirável e tanto havia-se espalhado entre todos a fama de sua retidão, que até os judeus sensatos pensavam que esta era a causa do assédio de Jerusalém, iniciado imediatamente depois de seu martírio, e que por nenhum outro motivo estavam eles sofrendo-o senão pelo crime sacrílego cometido contra ele.

 

Na verdade, pelo menos Josefo não vacilou em atestar também isto por escrito com estas palavras:

 

“Isto sucedeu aos judeus como vingança por Tiago o Justo, irmão de Jesus, o chamado Cristo, porque exatamente os judeus o mataram, ainda que fosse um homem justíssimo.”

 

Tiago contava com sessenta e seis anos de idade ao sofrer o martírio por volta do ano 62 d.C.

 

 

 

Clique nas figuras abaixo para ver sobre as demais colunas da Igreja:

André

Pedro

Tiago

João

Tiago, o Justo

Mateus

Tomé

Simão Zelote

 

 

 

Bartolomeu

Felipe

Judas Tadeu

Matias

Estevão

Barnabé

Paulo

Filipe, o evangelista

One Comment leave one →
  1. thiago alves permalink
    25/07/2014 12:00 pm

    muito lindo a historia. por isso que meu nome tenho que acredita muito que jesus foi o primeiro tiago foi o segundo…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: